Turismo na Chapada dos Guimarães | Mato Grosso

Turismo na Chapada dos Guimarães | Mato Grosso

Turismo na Chapada dos Guimarães | Mato Grosso

O território que hoje abriga Chapada dos Guimarães, no Estado de Mato Grosso, sofreu inúmeras transformações ao longo do tempo. Os grandes paredões de arenito revelam a idade dessas formações rochosas.  Assentada sobre uma das mais antigas placas tectônicas do planeta, a região era coberta por uma grande camada de gelo. O derretimento desta placa se transformou em um grande mar raso a cerca de 300 milhões de anos. Depois de 150 milhões de anos, a água salgada deu lugar a um grande deserto. Há aproximadamente 150 mil anos surgiu o Homo sapiens na África. Não se sabe ao certo quando os primeiros humanos pisaram sobre o território de Chapada dos Guimarães, mas já no século XVII a disputa pela área se dava entre os índios Bororo, Paiaguá e Caiapó.

Vestígios do homem branco

Segundo os registros da época, o bandeirante português Antonio de Almeida Lara foi o primeiro homem branco a incursionar pela região de Chapada. Há documentos históricos de 1720 sobre as expedições do aventureiro em busca de perdizes serra acima. Em seguida, Almeida Lara instalou uma grande fazenda no alto da serra e a denominou Burity Monjolinho. Nela instalou uma verdadeira fazenda para o abastecimento alimentício de Cuiabá. Em 1726, Portugal sede ao bandeirante a sesmaria da região do Burity. Ele trouxe pessoalmente de São Paulo mudas de cana-de-açúcar para a instalação de um engenho.  A aguardente produzida no Burity serviu de alento aos garimpeiros durante o período em que índios Paiaguá fecharam o caminho para São Paulo, entre os anos de 1731 e 1737.

Chapada de Santana

Para catequizar os índios, o governo instalou uma Missão Jesuítica em Chapada. Assim o povoamento oficial do município começou em 1751. Uma igreja de palha foi construída na Aldeia Velha, no altar foi colocada uma imagem de Nossa Senhora de Santana.  Em 1779 foi inaugurada a atual igreja de Santana. Em 1814, a comunidade foi elevada à categoria de Freguesia, agora denominada Santana da Chapada dos Guimarães. Em 1848, a freguesia foi elevada à categoria de distrito de Chapada dos Guimarães.  Em 1923, é inaugurada a Escola Evangélica do Buriti. A instituição atuou na formação educacional técnica e agrícola de centenas de jovens. Em sistema de internato, os alunos dormiam em redes. O Buriti existe até os dias de hoje, mas atua agora na área de eventos de congregação religiosa.

Usina de Manso

Usina de Manso

Usina Hidrelétrica

Em 1928, Mário Correa da Costa inaugurou a primeira usina hidrelétrica de Mato Grosso, no Rio da Casca, distrito de Chapada dos Guimarães.  A demanda de Cuiabá por energia era muito maior que a capacidade de geração da usina, por isso na década de 1950 foi construída a Usina da Casca II.

Criação do Município de Chapada dos Guimarães

Desmembrado de Cuiabá e Rosário Oeste, o município de Chapada dos Guimarães foi criado em 15 de dezembro de 1953. Em 6 de fevereiro de 1955 assumiu o primeiro prefeito eleito, Adalberto Sampaio de Farias.  Chapada chegou a ostentar o título de maior município do mundo, com mais de 200 mil Km2. Em 1979, após vários processos de emancipação política de comunidades de Mato Grosso, restava menos de 6 mil Km2 do território original do município.

No início da década de 1980, surgiram várias comunidades alternativas na cidade. Migrantes de diversas partes do país em busca de um estilo de vida mais livre chegaram à Chapada, e se instalaram principalmente no Vale do Jamacá.  Após o esforço de alguns políticos e muitos ativistas ambientais, em 12 de abril de 1989 foi criado o Parque Nacional de Chapada dos Guimarães. Com quase 33 mil hectares, esta área se destina a preservar e proteger o ecossistema local.

Usina de Manso

Em 1999 foi inaugurada a usina hidrelétrica de Manso. O represamento do rio deu origem ao um lago que ocupa 427 Km2 e se localiza entre os municípios de Nova Brasilândia e Chapada dos Guimarães. A usina tem capacidade para gerar 230 MW de energia. Com características para aproveitamento múltiplo, regula o volume de vazão da água pelas comportas para prevenir enchentes em Cuiabá e seu lago tem um apelo turístico crescente.

www.klimanaturali.org
www.megatimes.com.br