RIO AMARELO (HUANG HE) - CHINA

O rio Amarelo ou Huang He, com extensão de 5.464km e bacia de 745.000km2, nasce ao norte do Tibet e ao longo de seu curso muda várias vezes de direção, atravessando as depressões lacustres de Oring Nor e Tsaring Nor e o maciço de Anme Machin (Animaqingshan). Em seu curso médio avança espremido entre profundas gargantas pela depressão de Lanzhow e pelos montes Qinling; no inferior, percorre 600km através da grande planície no norte da China. Desemboca no golfo de Bo, no mar Amarelo, onde forma um vasto delta.

Nenhum outro rio do mundo transporta uma quantidade tão grande de aluviões quanto o Amarelo, cujo nome em chinês, Huanghe (na transliteração pinyin), ou Huang Ho, refere-se à cor barrenta de suas águas, provocada pelo acúmulo de terra amarela ou loess, arrancada de sua bacia superior.

Rio Amarelo (Huang He)
Embora impressione por sua extensão e pela área que drena, o Amarelo apresenta um caudal relativamente modesto: 1.500m3 por segundo, ou  metade do débito do Reno. O motivo de tal desproporção é que a maior parte da bacia se localiza em regiões áridas da China. O derretimento das neves nas cabeceiras e, durante o verão, as moderadas chuvas de monção (que produzem freqüentes transbordamentos) constituem as únicas fontes de alimentação do rio. A proporção média de sedimentos em suas águas é de 78g por litro, mas em algumas enchentes pode atingir setenta por cento do volume total.

No decorrer da história, as enchentes têm produzido inundações catastróficas e até mesmo modificações no curso do rio, com perda de milhões de vidas e destruição de grandes extensões de terras cultivadas. Por isso o rio Amarelo recebeu a designação de "desgraça da China". A irregularidade do débito, com estiagens no inverno e enchentes no verão, dificulta a navegabilidade, assim como seu aproveitamento para a irrigação. Tampouco tem permitido o desenvolvimento de grandes cidades em suas margens. Os principais centros urbanos da bacia são: Lanzhou, Xi'an, Tai'an, Luoyang e Jinan.

As obras para controlar o rio têm-se multiplicado desde a revolução chinesa de 1949. Além disso, foi desenvolvido um vasto programa de reflorestamento para reduzir a erosão do solo.

LUCIANO MENDE Farias